quinta-feira, 26 de março de 2009

O Louco à luz de um poema de Cecília Meirelles



Nasce da sombra o dançarino,

de um ovo de seda e mistério.

E seu perfil é transparente,

e sua carne é a de um inseto.


Eu o amo como às borboletas,

à asa das libélulas - e erro

no seu mundo sem solo, reino,

que se vai tornando sidéreo.


Suas tênues mãos nada tocam,

e olha entre verdes águas, cego.

Cada posição de seu corpo

é um símbolo instantâneo e hermético.


Toma nos lábios o silêncio

e é um peixe bebendo o mar, quieto.

Gira, e súbito se divide,

como espelho que cai de um prego.

RETRATO NATURAL (1949), por Cecília Meireles.

THE FOOL - Aleister Crowley Thoth Tarot, por Frieda Harris.

2 comentários:

Emanuel disse...

Maravilhosa sua leitura iconográfica do poema. Sou apaixonado pelo Thoth's Tarot. E seu trabalho, como um todo, é maravilhoso!!!

Adriana Carvalho disse...

Olá Emanuel,

esta leitura foi feita por outra pessoa mas não sei quem é. Recebi esta de uma amiga e achei muito interessante, uma vez que gosto tanto do Thoth quanto de Cecília, mas ela também não me informou quem a fez
...quanto ao restante, muito grata e seja bem-vindo!